Fique por dentro das nossas novidades 

Blog Gomining

Formas de aplicar Inteligência Artificial na educação

Compartilhar em:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

< Voltar para o Blog

A história da Inteligência Artificial vem desde a década de 50, quando o termo foi utilizado pela primeira vez por John McCarthy em uma conferência nos Estados Unidos, onde começaram as primeiras discussões acerca do uso de computadores com linguagens que simulem o pensamento humano. Não houveram avanços significativos nesse encontro, mas ele é considerado o pontapé inicial do progresso com a IA.

Depois disso, foi apenas em 1997 que começamos a ver mais avanços: o supercomputador Deep Blue derrota o campeão mundial num jogo de xadrez. Daí em diante, a evolução não parou.

Na área da educação, a década de 2000 é o ponto de partida substancial, pois a partir desta data, a internet e os computadores já estavam estabelecidos ao redor do mundo, proporcionando acesso facilitado a esta tecnologia. Começamos a ver dispositivos de reconhecimento por voz, pesquisas inteligentes, sistemas de correção e gerenciamento de notas na rede, assim como inúmeros softwares de auxílio.

O crescimento da IA na educação continuou e, sua importância tem sido tanta, que em 2019 a Unesco realizou o Consenso de Pequim, um documento com informações importantes para a utilização desta tecnologia na educação. Nele, são abordadas diversas recomendações e boas práticas para a aplicação da mesma dentro e fora das salas de aula, assim como guias éticos e dicas de implementação.

Claro, também é necessário lembrar que a Inteligência Artificial é encontrada em sistemas, softwares, aplicativos e assim por diante, então, ela está ligada diretamente com a utilização de aparelhos tecnológicos, tais como internet, computadores, celulares e tablets. Isso pode ser um empecilho em sua implementação geral, pois segundo pesquisa da Agência Brasil, 82% dos domicílios brasileiros tinham acesso à internet em 2021, o que representa uma boa quantidade. Mas, estima-se que 35,5 milhões de pessoas ainda não tenham acesso à rede e, por consequência, a esta tecnologia.

Mas os números tendem a crescer, principalmente após a pandemia de COVID-19, que auxiliou no avanço da inserção digital.

E atualmente, como podemos aplicar a IA na educação?

Podemos ver a Inteligência Artificial na educação das seguintes formas:

– Ensino diferenciado e personalizado, para que cada estudante consiga ser avaliado de forma rápida por softwares, gerando um panorama claro que aponta conteúdos onde há necessidade de mais estudo, assim como áreas em que o aluno tem mais facilidade;

– Salas de aula virtuais, com possibilidade de centenas de estudantes com acesso simultâneo. Com a IA, essa alternativa se torna global, visto que já existem programas que permitem a tradução e legenda em tempo real;

– Maior disponibilidade de conteúdo, pois com a Inteligência Artificial é possível conectar diversas bases de dados, criando atividades únicas para cada situação ou estudante;

– Aprofundamento de habilidades, tais como motoras e de criatividade;

– Experiências imersivas, como passeios virtuais, utilização da realidade virtual para aplicação de conteúdo e muito mais;

Adaptação para os objetivos do professor e gestor, auxiliando no monitoramento e também mostrando o caminho a ser seguido, com base nas informações coletadas;

– Maior inclusão, visto que a IA é adaptativa e já possui soluções para traduções em libras e legendas, por exemplo;

– Feedbacks únicos, mostrando ao professor os pontos fracos e fortes de cada estudante;

Armazenamento de dados individuais, permitindo que os professores e gestores possam analisar o progresso de cada indivíduo. Alguns softwares de planilhas conseguem calcular perfeitamente a média de notas através dos números inseridos;

– Assistência em qualquer horário, com bots de chat automatizados, prontos para responder às dúvidas de estudantes a qualquer momento;

– Correções automáticas de provas e textos, que entregam nota e feedback personalizado por aluno, proporcionando ganhos de escala nas atividades, ganho de produtividade, acesso a relatórios de desempenho individual e coletivo e liberando o professor para focar em atividades mais importantes que a correção de provas e atividades.

Também existem projetos e ideias que se encontram em desenvolvimento e discussão, como robôs tutores e formatos de implementação de realidade aumentada nas salas de aula. São tecnologias que precisam de aprimoramento e tempo para testagem, além de avaliações éticas e aplicabilidades.

Estamos engajados em produzir conteúdos relevantes sobre educação e tecnologia para os professores. Para nos acompanhar, basta acessar nosso blog, Instagram (@Gomining_edu) e o canal no YouTube (Gomining Edu).

Na área da educação, a inteligência artificial passará não apenas pelas inovações em sala de aula, mas também na gestão educacional. Muitos sistemas baseados em IA poderão auxiliar na otimização de processos administrativos, proporcionando uma gestão mais eficiente, objetiva e transparente.

Cadastre-se para receber

nossas novidades