Fique por dentro das nossas novidades 

Blog Gomining

Dicas de Redação por Fabiana Kaodoinski

Compartilhar em:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

< Voltar para o Blog

Por Fabiana Kaodoinski:

A prova de redação é essencial no que se refere ao acesso ao ensino superior. Nas provas que envolvem escrita, espera-se do candidato organização lógica, ideias autorais, correção ortográfica, posicionamento crítico, reflexão sobre a realidade. Assim, para articular tantos aspectos, é necessário ao vestibulando desenvolver diferentes competências. Outro ponto importante é a observação da proposta de redação, que pode ser seguida de questões como: para quem escrever? Com que objetivo? Nesse sentido, levando em conta que a produção textual dos vestibulares e ENEM prioriza a dissertação e a argumentação, mostra-se imprescindível assumir um ponto de vista sobre o tema e defendê-lo com argumentos pautados em evidências: fatos, exemplos, voz de autoridade, comparações, alusões históricas. Tendo isso em vista, na sequência, são apontadas algumas dicas para fazer uma boa redação:

Tenha atenção ao tema

Leia atentamente a proposta de redação e anote as palavras-chave do tema. Tire alguns minutos para um “braimstorm”, que pode ser motivado pelos textos de apoio da proposta e pelos exemplos e conteúdos relacionados. Pergunte-se sobre o tema: concordo? Discordo? Quais as causas? Quais as consequências?

Elabore esquema

Faça um plano de texto em que possa representar o que será discutido no texto. Por exemplo: escreva palavras-chave relacionadas à tese escolhida, ou seja, que representem seu posicionamento crítico sobre o tema. Elenque tópicos dos argumentos que serão utilizados, ou vocábulos que lhe ajudarão a lembrar da linha de raciocínio a ser seguida em cada parágrafo de desenvolvimento. Anote também um termo ligado a um fato, a um exemplo, ou então o nome de um pensador que trata da questão. Imagine como concluirá sua redação. Só depois comece a escrever.

Pense criticamente

Situe-se como um sujeito crítico, reflexivo, de modo a defender seu ponto de vista de forma autoral, ou seja, com uma abordagem única, que demonstre seus diversos conhecimentos: socioculturais, econômicos, educacionais. Informe-se sobre a realidade: leia, veja a documentários, telejornais, assista à lives sobre debates atuais. Aproveite para apropriar-se de explicações sobre temas realizadas com base na Filosofia, Sociologia, Antropologia, História. Isso também ajuda a produzir um texto diferenciado. Porém, nunca introduza na redação citações deslocadas. Busque relacioná-las adequadamente às ideias de seu texto.

Monte um “banco de evidências”, reunindo anotações sobre fatos, dados estatísticos, exemplos impactantes da realidade, filmes, livros. Relacione esses dados a temas e argumentações que podem ser exploradas nas provas de vestibular.

Impressione o avaliador

Na conclusão da sua redação, insira uma “nova tese”, ou seja, adicione uma informação nova capaz de impressionar o corretor, resultante do processo argumentativo desenvolvido. Você pode também reiterar a abordagem feita e/ou retomar aspectos importantes para tecer suas conclusões.  O ENEM exige que o candidato apresente proposta de intervenção ao problema em análise. Nesse caso, vale organizar a conclusão a partir das seguintes questões: O que fazer para mudar essa situação? Como fazer? Quem estará envolvido?

Conecte ideias

Crie conexão entre os parágrafos e no interior deles. Para tanto, use adequadamente operadores argumentativos, como os de adição (além disso), de conclusão (portanto). Siga uma linha de raciocínio em que cada parágrafo traz informações novas, mas não há desvio do tema, pois ele é retomado. Também, evite repetir palavras. Troque-as por sinônimos, por exemplo. Além do mais, lembre-se de que sua redação precisa ter clareza. Foque no sentido que deseja construir.

Não faça feio!

Foco é indispensável

Não fuja ou tangencie o tema e respeite o número mínimo de linhas exigido pela banca.

Não copie

Não faça cópias de trechos ou de ideias de textos motivadores, ou seja, não utilize dados constantes na proposta de redação. Ela serve apenas para indicar o tema.

Posicione-se

Não faça um texto meramente dissertativo, em que você apenas escreve sobre o tema, mas não se posiciona. Mostre o que você pensa sobre o assunto!

Siga a norma culta

Evite erro de português, como de concordância, regência, acentuação. Também não use gírias, abreviações, palavrões, lugar-comum. Revise a redação antes de entregar. Lembre-se de que somente decorar regras da gramática normativa não garante uma produção de texto sem erros. Você precisa refletir sobre o uso da língua no contexto da produção da redação.

Na área da educação, a inteligência artificial passará não apenas pelas inovações em sala de aula, mas também na gestão educacional. Muitos sistemas baseados em IA poderão auxiliar na otimização de processos administrativos, proporcionando uma gestão mais eficiente, objetiva e transparente.
Com a popularização dessa tecnologia, é comum que os professores se deparem com termos desconhecidos e muitas vezes até estranhos. Neste sentido, listamos alguns dos termos mais usados para quando falamos de IA aplicada à educação.

Cadastre-se para receber

nossas novidades